Sessão de terapia

PSICOLOGIA TRANSPESSOAL

O que é ? Como é sua abordagem? Em que ela se diferencia das outras e como utilizar seus recursos?

 

A Psicologia Transpessoal, também conhecida como a quarta força da psicologia, sendo precedida pela Psicologia Comportamental, a Psicanálise e a Psicologia Humanista, trabalha com 8 conceitos fundamentais do indivíduo: Consciente, Subconsciente, Corpo, Memória, Criatividade, Poder Curador, Intuição e Supra Consciência.
A diferença na Psicologia Transpessoal é que sua meta não é adaptar sujeito ao mundo, desreprimir suas pulsões sexuais, promover sua autorrealização material, nem reforçar comportamentos sociais aceitos. Sua meta básica é o desenvolvimento do ser de forma integral, possibilitando o cliente ir além de seus limites, expandir sua consciência em busca de sua verdadeira essência.
É necessário ressaltar que o Psicologia Transpessoal não invalida nem descarta as diversas visões e contribuições das outras correntes da psicologia. Pelo contrário, há um respeito por todas as fases do conhecimento humano, representadas pelas teorias psicológicas que compõem a nossa cultura. Na verdade, ela integra e desenvolve aspectos multidisciplinares do ser humano, através da formatação de um método interdisciplinar e único.
As abordagens utilizadas estão embasadas na Psicologia Analítica de Jung, Física Quântica, Ecologia Profunda (da mente), Tanatologia (estudo científico da morte), Teoria Holotrópica e Neurociência. A Física Quântica e a Neurociência fornecem a sustentação científica necessária para esse conhecimento.
Existem muitos exercícios e vivências que podem ser usados como recursos auxiliares à psicoterapia de orientação transpessoal, como a meditação, a ioga, o relaxamento, a respiração Holotrópica, de renascimento, visualizações criativas etc.
Em um enfoque transpessoal, o mais importante é a elaboração que o cliente faz sobre o fato ou questão em si e não a sua origem fenomenológica. Por exemplo, a técnica de regressão de memória, um valioso instrumento para acessar lembranças traumáticas, padrões e comportamentos fóbicos e repetitivos, somente pode ser considerado um recurso transpessoal quando existe uma elaboração e transformação dos conteúdos experienciados.
Todas essas técnicas podem ser usadas pelo cliente de forma complementar ao processo psicoterapêutico, visando sempre o autoconhecimento, ganho de consciência e transformação pessoal.